Posts Tagged ‘François Truffaut

10
out
11

Domicílio Conjugal

Domicile conjugal - Jean-Pierre Léaud, François Truffaut

Este é o quarto filme protagonizado pelo personagem Antoine Doinel, o alter-ego do cineasta François Truffaut. Antoine Doinel está casado com a sensata Christine Darbon. Enquanto ela dá aulas de violino, ele ainda em busca de um emprego fixo. A rotina do casal é alterada com a gravidez de Christine e um caso extraconjugal de Antoine. Será que o domicílio conjugal irá resistir? Domicílio Conjugal revela o olhar terno, engraçado e inteligente de Truffaut sobre o casamento e a paternidade.

Título Original: Domicile Conjugal
Ano: 1970
Gênero: Comédia/Drama/Romance
Origem: França
Duração: 100 minutos
Direção: François Truffaut
Roteiro: François Truffaut, Claude de Givray, Bernard Revon

Anúncios
23
jan
11

Influências

A Noiva Estava de Preto
La Mariée Était en Noir, 1968, dir.: François Truffaut

Kill Bill – Volume 1
Kill Bill: Vol. 1, 2003, dir.: Quentin Tarantino

26
dez
10

A noiva estava de preto

 

Baseado no livro homônimo de Cornell Woorich, “A Noiva Estava De Preto” é uma excelente filme  que traz a genialidade do cineasta francês, François Truffaut, que também participou da confecção do roteiro. O filme segue os passos de uma viúva, cujo marido fora assassinado ao sair da igreja, logo após celebrado seu casamento, na caça aos responsáveis por sua morte.

Com uma perfeita direção e com algumas seqüências, que lembram as técnicas utilizadas pelo mestre Alfred Hitchcock em seus dramas e filmes de suspense, o filme policial intrigante e envolvente.

Destaque para interpretação de Jeanne Moreau que foi escolhida para o papel de protagonista, um filme à sua altura. Truffaut era fascinado desde a adolescência pelo livro A Noiva Estava de Preto, e quando jovem lia escondido da mãe.

Hitchcock escreveu para elogiar o trabalho. “Gostei especialmente da cena em que Moreau observa a morte lenta do homem que envenenou. Com meu humor, creio que a teria feito ir ainda um pouco mais longe, pondo uma almofada sob sua cabeça, para que ele morresse ainda mais confortavelmente”.

 

Indicações

– Prêmios Globo de Ouro, EUA

– Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira

Outros Títulos:

  • La sposa in nero (Itália)
  • A noiva estava de luto (Portugal)
  • The bride wore black (USA, UK)
  • Die braut trug schwarz (Alemanha, Austria)
  • La novia vestía de negro (Espanha)

Título Original: La mariée était en noir
Pais: França, Itália
Ano de Lançamento: 1968
Gênero: Drama, Mistério, Crime
Direção: François Truffaut
Roteiro: François Truffaut, Jean-Louis Richard
Produção: Marcel Berbert, Oscar Lewenstein
Música Original: Bernard Herrmann
Fotografia: Raoul Coutard
Edição: Claudine Bouché

Elenco: Jeanne Moreau [Julie Kohler]; Jean-Claude Brialy [Corey]; Michel Bouquet  [Robert Coral]; Charles Denner [Fergus]; Claude Rich [Bliss]; Daniel Boulanger [Delvaux];

22
jun
10

Jules e Jim – Uma Mulher para Dois

#Na virada para o século XX, Jules e Jim são dois amigos que se apaixonam pela mesma mulher, Catherine, que acaba casando com Jules. Depois da Primeira Guerra Mundial, quando eles se reencontram na Alemanha, Catherine começa a amar Jim.

Título Original:Jules et Jim
Ano de Lançamento: 1962
Origem: França
Duração: 105 minutos
Gênero: Drama/Romance
Direção: François Truffaut
Roteiro: François Truffaut, Jean Gruault

21
fev
10

O Homem que Amava as Mulheres

cena do filme O homem que amava as mulheres

Bertrand sempre foi um casanova conquistador de mulheres, desde que perdeu a virgindade num bordel na juventude. Já na casa dos 40, após inúmeros casos e paixões, ele resolve escrever uma autobiografia sobre sua vida amorosa.

tout ce qui est en bleu et italique est tiré du film…

« La compagnie des femmes m’était indispensable, sinon leur compagnie, du moins leur vision. Rien n’est plus beau que voir une femme en train de marcher. »

Mais qu’est-ce qu’elles ont ces femmes ? Qu’est-ce qu’elles ont de plus que toutes celles que je connais ? Et bien justement ce qu’elles ont de plus, c’est qu’elles sont des inconnues…

Mais qui sont toutes ces femmes ? Où vont-elles ? A quel rendez-vous ? Si leur cœur est libre, alors leur corps est à prendre, il me semble que je n’ai pas le droit de laisser passer la chance…

Elles veulent l’amour, tout le monde veut l’amour, toutes sortes d’amour, l’amour physique et l’amour sentimental ou même simplement la tendresse désintéressée…

« Pour moi, rien n’est plus agréable à regarder qu’une femme, pourvu qu’elle soit habillée d’une robe ou d’une jupe qui bouge au rythme de sa marche »

Título Original: L’Homme qui aimait les femmes
Gênero: Drama
Origem/Ano: FRA/1977
Duração: 119 min
Direção: Francois Truffaut

08
dez
09

Beijos Proibidos

François Truffaut

Após ser expulso do exército por insubordinação, Doinel passa a trabalhar como detetive particular e se apaixona pela Sra. Tabard, alvo de uma de suas investigações.

Título Original :Baiser Vóle
Ano de Lançamento: 1968
País: France
Gênero: Comédia Dramática
Direção: François Truffaut
Roteiro: François Truffaut, Claude de Givray, Bernard Revon
Música Original: Antoine Duhamel
Música Não Original: Charles Trenet
Fotografia: Denys Clerval

Prêmios: Sindicato Francês dos Críticos de Cinema – Prêmio de Melhor Filme
Prêmio Louis Dellue – Prix Louis Dellue (François Truffaut)
Indicações: Academia de Hollywood – Indicado ao Oscar de Melhor Filme em Língua Estrangeira
Globo de Ouro – Indicado ao Prêmio de Melhor Filme em Língua Estrangeira




setembro 2017
S T Q Q S S D
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Beats

  • 138,324 hits

Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

Junte-se a 12 outros seguidores